Raças perigosas hoje em discussão no parlamento

Parlamento discute hoje novas regras para raças perigosas
As duas propostas do PS e do CDS-PP que estão hoje em debate visam o agravamento das regras consagradas no actual quadro jurídico sobre animais perigosos. A discussão surge um mês após a morte de uma mulher vítima do ataque de quatro cães.

O Parlamento discute hoje duas propostas – do PS e do CDS-PP – para alterações ao regime jurídico de detenção de animais perigosos. O debate acontece um mês após uma mulher do Seixal ter morrido na sequência do ataque de quatro cães arraçados de rottweiler.

Noticia completa em :http://q3.aeiou.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ae.stories/4882

Anúncios

4 comentários

  1. Tenho um Rottweiler que se chama ROSSI e sendo detentor de um animal cuja raça é classificada como perigosa, concordo que as leis sejam apertadas e que as pessoas detentoras dos mesmos tenham tudo dentro da legalidade, nomeadamente o chip de identificação, livro de vacinas em dia, seguro, registo na junta de freguesia/Câmara Municipal da área , na sua casa a placa identificativa de “cuidado com o cão” e quando sairem à rua com o mesmo usem o açaime.
    Eu tenho isso tudo e digo desde já que o seguro foi o mais complicado de conseguir, devido à relutância das companhias de seguro em aceitar, mas lá consegui.
    Da mesma forma que os partidos/Governo querem regras mais apertadas, também deviam criar regras mais apertadas para as companhias de seguro, nomeadamente a de os penalizar por negarem o seguro animal a um cliente.
    Aconeceu comigo e como resultado deixei de ser cliente da mesma (mota + automóvel) e passei tudo para outra que me aceitou o meu Rottweiler.
    Também acho importante que em casos de ataques de cães de raças consideradas perigosas sejam analisados as condições em que ocorreram os ataques, ou seja, causa-efeito, porque há muitos ataques de cães perigosos em que o principal causador foi a vítima e não o cão.
    No entanto, há que compreender uma coisa, cães como os Rottweiler, Pitbull, Dogue Argentino, Cão de Fila, etc, são cães possuidores de um carácter muito forte e precisam de donos seguros, com personalidade forte e com algum “pulso” senão tendem a impor-se e a quererem ser os líderes.
    O que se nota é que as pessoas vão atrás dos cães como se fossem uma moda, sem se preocuparem nas características da raça que adquiriram e depois os acidentes acontecem.
    Desculpem o testamento, mas como dono de um Rottweiler por vezes sinto-me revoltado com a problematização que fazem da raça e de outras, e como nota final sugiro aos possuidores de cães de guarda o treino adequado de obediência como fiz, porque ajuda muito.
    Os Rottweilers são uma raça muito inteligente, obediente, fiel, de personalidade forte e muito carinhosos com os seus donos, mas são cães apenas dos seus donos, não são tipo os Labradores que lambem todas as pessoas e abanam o rabo.
    Lembrem-se, cão de guarda é uma coisa, de companhia é outra, e as difernças de carácter são muitas.
    Antes de adquirirem um cão de uma determinada raça informem-se sobre ela, se se adequa à sua personalidade, estilo de vida, à sua casa, esposa, filhos, etc, porque poderá fazer toda a diferença e não se esqueçam de cumprir a vossa parte para com a lei.

    Boas curvas!

  2. Sou dona de um cão fruto de um cruzamento de rottweiller e pastor alemão. Foi retirado da sua mãe com apenas 1 mês de idade, a cauda foi-lhe brutalmente amputada com um machado, foi sujeito a maus tratos que incluiam valentes tareias com vassouras e cadeiras e foi abandonado com 3 meses numa minúscula varanda durante 3 semanas juntamente com um papagaio, um piriquito e uma tartaruga…todos sem comida e sem água, valeu-lhes a chuva de Janeiro! Eu nunca tinha tido um cão e confesso que foi com relutância que acedi ficar com ele. Foi com toda a certeza uma das melhores decisões que tomei na minha vida! No dia seguinte, após uma longa e atribulada viagem até casa (o cão tinha medo de tudo e de todos), foi ao veterinário que me avisou que eu “tinha um amigo para o resto da vida”. Não se enganou!Actualmente, o meu amigo já tem 3 anos e meio e é feliz, muito feliz. Fez um curso de obediência, tem as vacinas em dia, tem registo, licença, chip e seguro e mesmo assim é alvo da má propaganda que a comunicação social, infelizmente, tem fomentado sobre as raças alegadamente perigosas. O meu cão usufrui de um espaço ao ar livre onde permanece livremente, apesar disso, não o privo de longas passeatas na praia (fora da época balnear) e no campo onde pode correr à vontade. Coloco-lhe a trela curta sempre que vai à rua mas recuso-me a colocar-lhe um açaime! Sugiro que em vez de perseguirem os cães “ditos” perigosos que cumprem a lei, se preocupem em punir os donos dos cães, até dos pequeninos, que permitem que os seus animais defequem na via pública e deixam lá ficar o resultado dos passeios! Isso sim é realmente PERIGOSO!

    Mimem os vossos cães!
    Mariana Barros

  3. Olá ao contrário dos autores dos depoimentos acima, encontro-me no outro extremo: dona de uma york que fora brutalmente morta por um Rottweiller quando passeava na calçada.

    Diante deste fato que segmento meus comentários.

    Defendo a urgência da implementação de medidas que venham a evitar que mais pessoas venham a sofrer a perda que eu tive. Ressaltando que fora a minha cachorrinha, mas poderia, facilmente, ser uma criança, por exemplo.

    Li as qualidades por vcs apresentadas, mas não posso deixar de valorá-la como sendo plavras de donos falando sobre seus cães. Todos aqueles que amamos vemos com bons olhos, segundo o proprietário da Rottweiller que matou a minha: ” ela é só um bebê, muito dócil”. A docilidade de tal animal restou registrada por todos aqueles que passeavam na pracinha naquela hora.

    Não confundam o comportamento destes animais dentro de suas residências, como sendo indicador de que estes cães sejam aptos a viver em sociedade sem oferecer nenhum risco aos demais.

    Assim não estamos falando se tal raça vem a ser agil, inteligente…mas estamos falando de vida, da ameça que eles podem vir a representar para todos aqueles que só querem o direito de circular nas ruas.

    Depois do acontecido adquiri 2 yorks, as quais não sabem o que vem a ser passear em uma pracinha. Justo? Acho que não né?

    Contudo, venho dizer que todo e qualquer projeto vem a ser bem-vindo, pois só queremos ter garantido a nossa integridade física e o nosso direito de ir e vir.

  4. Eu tenho 14 anos. E quando eu tiver uma casa eu gostava de ter um cão mas ainda em dúvida eu gostava de ter um Rottweiler, ou um Pit Bull, ou um Bull Terrier depende da casa que eu tiver claro, mas para ter um cão deste potêncial tem que se ter uma casa não digo com muito espaço mas o adequado para um cão deste tipo. A minha opinião acerca disto e que não concordo com a lei que vai ser imposta ou já foi imposta. Para mim quem tem culpa destes acidentes não são os cães são os donos, eles são apenas um ser indefeso, são comos os bébes tem que se dar educação, os cães têm que perceber que quem manda é o dono, e quem não sabe educar estes cães é óbvio que não os deve ter. Mas á pessoas que não sabem educar estes cães mas compram-nos com a intencão de os ensinar a fazer mal. E o pior animal á fase da terra não é o cão mas em dúvida o Homem.


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s